• Marcon LC

ESTADÃO: Burnout como doença ocupacional faz crescer a responsabilidade das empresas


Desde 1o de janeiro o burnout passou a ser considerado doença ocupacional. 🧠


Esta mudança reflete os tempos difíceis que estamos vivendo nas organizações, diante de tanta imprevisibilidade e tensão.


Se você é líder, veja o que muda no papel da empresa e saiba que a sua responsabilidade é dar o exemplo, a começar cuidando da própria saúde mental.


Como profissional, fique atento aos sinais de irritabilidade frequente, falta de memória, cansaço excessivo, negativismo, apatia, insônia e palpitações, entre outros. Procure ajuda médica e converse com seu líder ou profissional de RH.


Um dos principais motivos do aumento do burnout é que as pessoas evitam falar no assunto, seja porque não reconhecem os sinais ou porque não querem se expor.


É tempo de menos heroísmos e mais consciência de que temos limites e podemos ser produtivos de forma mais sustentável.